11/07/2018

Espetáculo inspirado na Guerra de Canudos estreia em Salvador

 

A peregrinação do líder religioso, Antônio Conselheiro, durante a Guerra de Canudos (1896) é o tema central do espetáculo “Arraial”, que estreia na próxima quinta-feira (12), no Teatro Martim Gonçalves (Canela), com entrada gratuita.

A peça é uma adaptação da obra “Antônio Conselheiro”, de Joaquim Cardozo, e tem direção de Saulus Castro, que lança em cena um paralelo dos problemas sociopolíticos, vivenciados na época pela população nordestina, com o momento atual do país.

Além da estreia na quinta-feira, terão sessões na sexta (13), sábado (14) e domingo (15), sempre às 17h e às 20h.

A montagem é o quinto espetáculo do Coletivo Duo e no elenco estão os atores Antônio Fábio, Bira Freitas, Gabrielle Santana, Gésner Braga, Thiago Ribeiro e Hamilton Lima. Já a direção musical é assinada por Luciano Salvador Bahia.

A inspiração para "Arraial" veio da obra do pernambucano Joaquim Cardozo, escrita em 1975, na qual aborda o contexto histórico da Guerra de Canudos. A adaptação mergulha ainda mais nas entrelinhas econômicas e políticas que anteciparam o confronto entre o Exército Brasileiro e os integrantes de um movimento popular liderado por Antônio Conselheiro.

A abordagem trazida aos palcos por Saulus Castro traça um paralelo entre esse episódio com o momento sociopolítico que o Brasil vivencia na atualidade.

  • SERVIÇO

O que: Espetáculo Arraial – adaptação de “Antônio Conselheiro”, de Joaquim Cardozo

Onde: Teatro Martim Gonçalves

Quando: 12 a 15 de julho (quinta, sexta, sábado e domingo), sessões: às 17h e às 20h

Quanto: Entrada gratuita

Balé Jovem de Salvador se apresenta no Teatro Vila Velha

Balé Jovem de Salvador (BJS) se apresenta no Teatro Vila Velha, em Salvador, no sábado (13) e no domingo (14), como uma das atrações do projeto “O Vila na Copa e na Cozinha”. Os ingressos custam R$ 10 e R$ 20 e serão vendidos na bilheteria do espaço, que fica no Passeio Público, no Campo Grande.

O programa inclui as coreografias “O corpo e a cidade”, “Eleuther”, “Nos acréscimos” e “Outras dinâmicas”. As apresentações serão realizadas às 20h.

Programa

Os espetáculos do Balé Jovem de Salvador possuem um cunho crítico e reflexivo em relação a sociedade brasileira e culturas próximas à latina. Eleuther - A partir de uma pesquisa em torno da cultura porto-riquenha e seu símbolo nacional - um minúsculo sapo que emite um som característico -, surge uma obra de Matias Santiago que retrata o desejo de um povo em emancipar-se.

“O corpo e a cidade” – versão do projeto NOCORPODACIDADE, conjunto de performances realizadas pelo BJS em monumentos de Salvador. Com autoria de Matias Santiago, a coreografia é uma proposta artística que ressalta a importância do patrimônio cultural soteropolitano para a compreensão do que é a cidade.

“Nos acréscimos” – O amor do brasileiro pelo futebol e, em particular, pela seleção brasileira é retratado na coreografia de Ana Karla Sampaio que também traz uma reflexão sobre conchavos e o abandono que a CBF promove ao vender resultados contra os brasileiros.

“Outras Dinâmicas”

Essa coreografia colaborativa faz uma reflexão sobre o momento presente de reorganização da lógica do poder no Brasil. Mais uma vez o corpo brasileiro é atravessado e o que se desdobra é um movimento brusco, reprimido, manipulado. Um manifesto do corpo cansado e sem voz (ou rouco de tanto gritar) num plenário esvaziado de verdade e realidade.

Balé Jovem de Salvador

Criado em 2007 por Matias Santiago, o Balé Jovem de Salvador é uma companhia de dança juvenil com o propósito de promover a capacitação profissional de jovens bailarinos, contribuindo para a promoção de artistas locais no mercado de trabalho da dança.

As atividades de formação promovidas pelo BJS consistem em aulas abertas de diferentes técnicas em dança, com grandes professores, parceiros e convidados, nacionais e internacionais, além de ensaios de manutenção de repertório e processos criativos internos, realização de temporadas de espetáculos e também projetos de pesquisa e circulação de trabalhos da companhia.

  • SERVIÇO

Balé Jovem de Salvador no “Vila na Copa e na Cozinha”

Datas: 13 e 14 de julho

Horário: 20h

Local: Teatro Vila Velha

Endereço: Av. Sete de Setembro, s/n - Passeio Público - Campo Grande.

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Osba abre Ciclo Schumann nesta quinta no Teatro Castro Alves

Sob regência do maestro Carlos Prazeres, a Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba) abre o Ciclo Schumann nesta quinta-feira (12), às 20h, na sala principal do Teatro Castro Alves, em Salvador.

Na série de concertos, que integra a 5ª edição da Série Jorge Amado, a Osba apresenta ao público as quatro sinfonias do compositor alemão Robert Schumann, começando pela “Sinfonia nº 4 em Ré menor, Opus 120”, nesta quinta.

Além da obra do homenageado, o público poderá apreciar as peças “Estro Armonico”, do brasileiro Edino Krieger e ainda o “Concerto nº 1 para piano em Ré bemol maior Op. 10”, do ucraniano Serguei Prokofiev, quando a pianista Beatriz Alessio se apresenta como solista convidada. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

 

  • SERVIÇO

O QUÊ: Osba - Ciclo Schumann

QUANDO: Quinta-feira, 12 de julho, às 20h

ONDE: Sala Principal do Teatro Castro Alves – Salvador (BA)

VALOR: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Espetáculo ‘Isto Não É Uma Mulata’ faz duas apresentações na Barroquinha

O espetáculo “Isto Não É Uma Mulata” faz duas apresentações no Espaço Cultural da Barroquinha, em Salvador, neste sábado (14) e domingo (15), às 19h. A montagem acontece  dentro da programação do Fórum Obìnrin, ocupação artística que tem como objetivo fortalecer e dar visibilidade de produções de artistas negras contemporâneas brasileiras e da América Latina.

Com texto e atuação de Mônica Santana, o solo “Isto Não É Uma Mulata” leva ao palco reflexões sobre a representação da mulher negra, além de apontar as fragilidades do mito da democracia racial brasileira, com ironia e humor. A montagem rendeu à atriz o Prêmio Braskem de Teatro 2015, na Categoria Revelação. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

  • SERVIÇO

O QUÊ: Espetáculo “Isto Não É Uma Mulata” - Fórum Obìnrin

QUANDO: Sábado e domingo, 14 e 15 de julho, às 19h

ONDE: Espaço Cultural da Barroquinha – Salvador (BA)

VALOR: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Após CachoeiraDoc, Feciba anuncia cancelamento por falta de patrocínio

O audiovisual da Bahia enfrenta dificuldades este ano. Após a pausa na realização do CachoeiraDoc, por falta de patrocínio, o Festival de Cinema Baiano (Feciba) será descontinuado também pelo mesmo motivo.

O anúncio foi feito nesta terça-feira (10), por Edson Bastos, idealizador do projeto. “Graças à falta de apoio da Secult-BA [Secretaria de Cultura da Bahia] e do Minc/Ancine [Ministério da Cultura / Agência Nacional do Cinema], não haverá Feciba pelo segundo ano consecutivo”, declarou o cineasta ipiauense.

“Diante da falta do Edital Setorial de Audiovisual da Bahia durante dois anos, tentamos por duas vezes o edital de apoio à mostras, festivais e eventos de mercado para realizar o FECIBA esse ano, mas o Minc informou que não temos pontuação suficiente para aprovarem o projeto”, explicou.

A última edição do Feciba foi realizada em 2016, com atividades em Juazeiro, Feira de Santana e Itabuna.

Festival de Gramado divulga concorrentes; filme de diretor baiano integra lista

O Festival de Cinema de Gramado anunciou, nesta terça-feira (10), a lista dos filmes selecionados para sua 46ª edição, que acontece entre 17 e 25 de agosto, em Gramado, no Rio Grande do Sul. Dentre os concorrentes está o longa-metragem “Ferrugem”, que tem roteiro e direção assinados por Aly Muritiba, cineasta natural de Mairi, no Centro-Norte da Bahia, e radicado no Paraná. O filme, que estreou no Festival de Sundance, narra a história de uma adolescente que vê sua vida virar do avesso, após ter um vídeo íntimo vazado na internet.

  • Confira os selecionados para concorrer no 46º Festival de Cinema de Gramado:

Longas-metragens Brasileiros

10 Segundos Para Vencer (RJ), de José Alvarenga Jr.

O Banquete (SP), de Daniela Thomas

Benzinho (RJ), de Gustavo Pizzi

A Cidade dos Piratas (RS), de Otto Guerra

Correndo Atrás (RJ), de Jeferson De

Ferrugem (PR), de Aly Muritiba

Mormaço (RJ), de Marina Meliande

Simonal (RJ), de Leonardo Domingues

A Voz do Silêncio (SP), de André Ristum

Longas-metragens estrangeiros

Averno (Uruguai/Bolívia), de Marcos Loayza

Las Herederas (Paraguai/Brasil/Uruguai/França/Alemanha), de Marcelo Martinessi

Mi Mundial (Uruguai/Argentina/Brasil), de Carlos Morelli

Recreo (Argentina), de Hernán Guerschuny e Jazmín Stuart

Violeta al Fin (Costa Rica/México), de Hilda Hidalgo

Curtas-metragens brasileiros

À Tona (DF), de Daniella Cronemberger

Apenas o Que Você Precisa Saber Sobre Mim (SC), de Maria Augusta V. Nunes

Aquarela (MA), de Thiago Kistenmacker e Al Danuzio

Catadora de Gente (RS), de Mirela Kruel

Estamos Todos Aqui (SP), de Chico Santos e Rafael Mellim

Um Filme de Baixo Orçamento (SP), de Paulo Leierer

Guaxuma (PE), de Nara Normande

Kairo (SP), de Fabio Rodrigo

Majur (MT), de Rafael Irineu

Minha Mãe, Minha Filha (SP), de Alexandre Estevanato

Nova Iorque (PE), de Leo Tabosa

Plantae (RJ), de Guilherme Gehr

A Retirada Para Um Coração Bruto (MG), de Marco Antonio Pereira

Torre (SP), de Nádia Mangolini

 

 

Fonte: G1/BN/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!