07/07/2012

FEIRA: Impasse continua na UEFS

 

Continua o impasse entre a Reitoria da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) e o grupo de  estudantes que ocupa o restaurante universitário da instituição há 86 dias.

Seguranças chegaram a cercar o prédio do restaurante universitário, onde os alunos estão acampados desde abril. Os estudantes alegaram que não houve acordo porque eles só deixariam o prédio se a direção da universidade retirasse os seguranças. A reitoria exigiu que os manifestantes assinassem um documento se comprometendo a desocupar o local, mas eles se recusaram.

Os alunos reivindicam melhor higiene do espaço, fiscalização sanitária, melhoria da qualidade dos alimentos e que a comida passe a ser fornecida gratuitamente para todos os estudantes, e não somente para os residentes, já que é cobrado R$ 1 por refeição.

"Nós já temos, mantemos o processo bandejão, que é um restaurante subsidiado. Os nossos estudantes têm uma cota de refeições, por exemplo de almoço, de 1.200 almoços que são subisidiados a R$ 1. Nós já acertamos aumentar esse número de alimentação subsidiada. Existem 300 estudantes que recebem alimentação total de graça e nós queremos aumentar esse contigente", afirmou o José Carlos Barreto, reitor da Uefs.

Em nota divulgada pela Universidade na quinta-feira (5), a instituição afirma que foram adotadas medidas para a desocupação do espaço, pois a comunidade universitária pede o retorno das atividades do restaurante e o local foi isolado porque o grupo de estudantes se recusa a negociar.

Isolamento

Todo o prédio está sem água e sem luz. O fornecimento foi interrompido na manhã de quarta-feira (4). As janelas também foram bloqueadas com tapumes. A intenção foi evitar a entrada de água e comida. A circulação de pessoas no local está proibida, com ressalva para a saída dos alunos que ocupam o prédio. Membros da reitoria e alguns professsores da universidade permaneceram no local para evitar confrontos entre os seguranças e os invasores. A reitoria da Uefs informou que foi criada uma comissão para apurar as responsabilidades de possíveis danos ao patrimônio da instituição.

Em nota, a universidade diz que entre as reivindicações dos manifestantes a única solicitação que não foi atendida é referente à relocação imediata do restaurante self-service para outro local, fato que implica na ampliação do espaço. A Uefs afirma ainda em nota que se compromete a atender a solicitação dos manifestantes, mas ressalta que precisaria de tempo para a construção do espaço, além de aguardar o término do contrato com a empresa terceirizada que serve o restaurante e de realizar nova licitação.

Entenda o caso

A ocupação do restaurante universitário ocorreu na madrugada do dia 12 de abril. Na ocasião, cerca de 60 estudantes ocuparam o local e montaram acampamentos. Os estudantes também pedem que o restaurante funcione nos finais de semana e que seja ampliado. Várias reuniões foram realizadas entre os estudantes e a reitoria da Uefs, mas não houve acordo. O Restaurante da Universidade Estadual de Feira de Santana é dividido em dois, um self-service, apelidado de “burguesão”, com preços mais altos que o outro, conhecido por “bandejão”.

Intitulado de “Coletivo Rapinagem”, o grupo reivindica o fechamento do “burguesão” e ampliação do “bandejão” para os estudantes. Com a ocupação, os dois restaurantes não funcionam pois a cozinha dos dois níveis foi ocupada pelo estudantes.

 

Fonte; Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!